Redes sociais para advogados



Há diversas plataformas disponíveis como opção: Facebook, linkedin, instagram... Mas você não precisa e nem deve sair produzindo conteúdo de qualquer jeito para cada uma das plataformas sem ESTRATÉGIA. Como te falei: Opção não é obrigação.


Estou aqui para te dizer: Calma aí!


Fato é que as redes sociais estão fortemente ajudando advogados a alavancarem suas carreiras. Quero te contar minha história com as redes sociais e como eu consegui utilizá-las a meu favor:


Formei-me em 2014 e logo decidi abrir meu escritório de advocacia com atuação exclusiva em direito imobiliário. Ocorre que eu não tinha nenhum parente da área jurídica, mesmo meu pai, formado no curso de direito no ano de 1988, atuou no ramo jurídico apenas até o ano de 1990.


Eu não tinha nenhuma indicação e nenhum grande escritório desejando me encaixar na equipe... O que eu tive foi uma veia empreendedora e anos atuando como corretora de imóveis na minha região. Acreditei que meus anos de corretagem fariam com que milhares de clientes me procurassem logo na primeira semana de escritório. Triste ilusão da jovem advogada.


O que aconteceu é que eu estava ali, escritório montado, pronto para receber meus clientes.


Vontade não me faltava para assinar meu primeiro contrato de honorários... mas ninguém apareceu nas primeiras semanas.


Naquele momento eu tinha 2 opções: futricar a vida dos outros nas redes sociais e esperar a “sorte” me encontrar; ou fazer alguma coisa pelo meu futuro! A opção escolhida foi justamente a de me dedicar pelo meu futuro!


Comecei a estudar assuntos com os quais eu gostaria muito de trabalhar, mas que não tinha tido a oportunidade de estudar durante a graduação. Na minha universidade não existia a matéria Direito Imobiliário. O primeiro assunto que estudei foi: Retificação de registros públicos. Eu queria compreender como faria para ajustar a área de um terreno que no local apresentava (por exemplo) 300 m² e no documento possuía apenas 150 m² e queria fazer isso sem ter que ingressar com medidas judiciais.


Assim que conclui o estudo fiz um resumo com conceito e principais pontos de como funciona uma retificação de registro público. Quando li meu resumo a sensação foi de: “Nossa, meu resumo ficou muito bom, não vou guardar só pra mim”.


Neste momento surgiu o blog Mariana Gonçalves. Um blog que tem como assunto exclusivo o Direito Imobiliário.


Depois disso a sobra de tempo e a ausência de clientes me permitiram criar mais e mais conteúdos e abastecer meu blog semanalmente. Comecei a estudar um pouco mais de mídias sociais e a divulgar meus conteúdos no Facebook.


Minha ideia era lembrar aos corretores de imóveis da região que agora eu não era mais corretora e sim advogada e estava ali pronta para auxiliá-los nos casos jurídicos que eles enfrentassem.


As publicações frequentes no Facebook foram fundamentais para que este meu público alvo compreendesse enfim o que eu queria: “Mariana é advogada”, “Mariana atua com direito imobiliário” e “Mariana tem um escritório somente de direito imobiliário”.


As redes sociais e o marketing de conteúdo vêm sendo um grande aliado dos jovens advogados, considerando a nova forma com que a sociedade passou a consumir e contratar serviços, a utilização inteligente destas ferramentas faz com que os novos advogados consigam ter uma chance tão boa quanto os grandes escritórios no momento da contratação.


Talvez você esteja se perguntando agora:



O que é marketing de conteúdo?

“É a estratégia de produzir conteúdos para o seu público-alvo, que o auxilie em todo o processo de compra e o atraia para você de forma natural e espontânea. [...] a ideia consiste em informar as pessoas para fazer com que futuramente elas não só respeitem a sua marca e a tenham como referência, mas também se tornem clientes da sua empresa.” RD STATION.

E o marketing de conteúdo funciona muito bem para advogados. É uma forma muito interessante de expor e compartilhar com a sociedade um conhecimento que você possui da sua área de atuação. Sendo assim, além de alcançar uma visibilidade interessante é muito possível e provável que você ajude diversos cidadãos a compreenderem um assunto que você domina.


Mas se eu compartilhar o que sei, por que as pessoas me contratarão?


Não veja dessa forma! É importante que você compreenda que o que compartilhará pode ser o primeiro passo de uma informação que a pessoa está buscando na internet, revista, jornal…


Não significa que ela resolverá os problemas dela sozinha! Provavelmente ela precisará contratar um advogado para auxiliá-la com a resolução do problema.


E aqui eu te pergunto: Qual a chance de ela buscar por você, que já está “do lado” dela informando e orientando, ou seja, gerando valor e informação na vida dela? Imensa! Muito grande mesmo! Obviamente, a maioria dos leitores não entrarão em contato com você no primeiro momento, mas assim que perceberem que precisam de ajuda de alguém que realmente entende do assunto, lembrarão do texto que você escreveu!



Como se tornar autoridade no assunto?


Quando você se empenha e frequentemente começa a publicar conteúdos interessantes e relevantes sobre determinada matéria, você começa a criar o que chamamos de “Autoridade no assunto”. Não significa que você é o/a melhor sobre aquele assunto ou que ninguém mais além de você possa falar e escrever sobre o tema na cidade, significa que as pessoas começam a te conhecer pela sua área de atuação.


Perceba, hoje em dia muita gente fala: “Ahhh a Mariana Gonçalves, sei… ela atua com direito imobiliário”. A maioria das pessoas que fala isso sequer conversou um dia comigo… ou foi cliente do meu escritório. Mas são tantos e tantos anos escrevendo sobre direito imobiliário que hoje é automático na cabeça de muitos a seguinte ligação: Direito imobiliário = Mariana Gonçalves.


Importante deixar claro aqui que isso não aconteceu do dia para a noite… foram anos e anos e anos escrevendo, lendo, pesquisando, escrevendo, lendo e pesquisando e é um ciclo sem fim… um looping infinito do marketing de conteúdo. Você sempre precisa estar presente para que seja encontrado.



Qual a melhor rede social para o advogado?


Depende (como boa advogada que sou, não posso deixar de usar a clássica resposta dos

juristas).


Penso que o mais adequado seja:

  1. Compreender quem é seu público alvo (idade, gostos, classe social)

  2. Entender como cada rede social funciona e quem é o público que acesso;

  3. Determinar o tipo de conteúdo que produzirá e compreender se ele funcionará bem

naquela mídia social;


Espero que as dicas aqui te ajudem e se tiver interesse, podemos conversar mais sobre cada

uma das plataformas sociais, é só deixar um comentário aqui abaixo dizendo qual rede social você gostaria que analisássemos.


Até logo!


Se gostou do assunto não esquece de clicar no coração. É muito importante pra mim!





0 visualização

Rezende & Gonçalves Cursos Ltda. 

CNPJ 33.026.198/0001-31

Rua Rio Grande do Norte, n 1436, sala 1409 - Funcionários - Belo Horizonte/MG

apoio@marianagoncalves.com.br

Contato para suporte: (31)99928-7004

Ler políticas de troca, devolução e reembolso dos Cursos online