Quem faz Direito nunca para de estudar.

Atualizado: Out 19

Então... Vamos falar de trabalhos acadêmicos!


Estudante de Direito passa cinco ou mais anos na faculdade e depois estuda pra OAB ou para um concurso. Mas para a maioria, isso não é suficiente, emendam uma pós para se especializar. Quem se apaixona pela pesquisa acadêmica ou quer se aprofundar ainda mais segue para o mestrado. Ouso dizer que depois de sobreviver ao mestrado, só os loucos se enveredam para o doutorado. Os mais loucos para o pós-doutorado. E para cada uma destas etapas, o acadêmico deverá deixar a comprovação de seu empenho e pesquisa em um trabalho escrito. A elaboração do TCC, artigo científico, dissertação ou tese é o que dá corpo ao trabalho do acadêmico e dá publicidade à pesquisa, para que, cada um de nós, eternos estudantes desta ciência, contribua para o desenvolvimento do Direito.


Mas eu que passei por todas estas fases posso afirmar, não é fácil escrever um trabalho científico. É por vezes assustador e outras muito gratificante. É difícil imaginar a felicidade no fim do túnel quando se está tentando escrever a página 2 de 200 da sua dissertação, mas, iniciaremos esta coluna mensal no Blog Minutos de Direito justamente para te ajudar na saga de escrever seu trabalho acadêmico.


E, como a gente não deve aceitar conselhos de qualquer um, eu vou logo me apresentando e contando pra você leitor, porque meu conselho pode lhe ser de valia. Meu nome é Deborah Alcici Salomão e você já me viu no Blog de direito Imobiliário escrevendo sobre arbitragem (esta é minha área de pesquisa há alguns anos). Mas eu já escrevi um TCC, já escrevi uma dissertação de mestrado em alemão, uma tese de doutorado em inglês, alguns artigos científicos em inglês e espanhol e é claro neste maravilhoso idioma que é o português, alguns até premiados. E é claro que eu tenho orgulho desta trajetória, porque eu sei o quão difícil foi completar cada uma destas etapas.


Lendo assim, os resultados parecem lindos. Mas resultados são assim chamados porque resultam de alguma coisa... Os meus resultaram de muitos dias de bloqueio, sem conseguir escrever uma linha; muitas noites de dúvida, sem saber sequer se eu havia escolhido o tema correto; muitas férias com livros nas mãos, porque morria de culpa se não estivesse fazendo algo pela minha tese; muitas pesquisas de bibliografia infrutíferas; muitas conversas e desabafos com amigos sobre a dificuldade de passar anos estudando; muita síndrome do impostor; dias de certeza que eu não conseguiria, e por ai vai...


Claro que também foi divertido! Há um prazer enorme em aprender algo novo e a pesquisa científica te traz o aprender aliado ao criar! Isso é demais! A sensação de aprender e poder ainda usar o novo conhecimento adquirido para transformar o Direito é muito legal. A vida acadêmica me trouxe bons amigos, com os quais eu dividi as dificuldades e as alegrias de cada etapa. Aprendi também muitas coisas que não tem a ver com o Direito, como, por exemplo, quais meus horários mais produtivos, quais minhas válvulas de escape e que técnicas posso usar para focar minha atenção.


E não, não acho que practice makes perfect, mas sem dúvida a prática foi me ajudando a fazer a escrita científica ficar mais fácil, a colocar uma estrutura nos meus textos, a saber onde está faltando aquela nota de rodapé. De tanto escrever a gente vai eliminando erros e melhorando as estratégias de produtividade.


Por outro lado, além de eterna estudante de Direito, também pude orientar alunos em seus trabalhos e em competições de Direito, lendo muitos artigos e trabalhos. Hoje, também faço um trabalho de orientação acadêmica extracurricular. E não pensem que a tarefa de orientar é mais fácil que a de pesquisar e escrever. É dolorido pra quem orienta cortar aquele parágrafo esquisitíssimo, sabendo que o aluno passou horas tentando estruturá-lo e escrevê-lo da melhor forma possível. Mas estar do outro lado me ensinou a identificar as dificuldades mais recorrentes dos acadêmicos de Direito na elaboração de seus textos.


Eu quero então dividir com vocês algumas das coisas que aprendi na minha caminhada acadêmica. Nos próximos meses vou escrever sobre a escolha do tema do trabalho acadêmico, sobre ferramentas de citação, sobre estrutura de texto, metodologia, e muito mais. E se você, leitor, tiver alguma dúvida ou alguma sugestão de tema para esta coluna, ficarei muito feliz em recebê-la.


Até a próxima!

Deborah Alcici Salomão

Advogada | Doutora pela Justus-Liebig-Universität Giessen e Mestre pela Philipps-Universität Marburg | Host dos Podcasts Última Instância e As Advogadas



Deixe aqui nos comentários dúvidas que você tem sobre o assunto:


Não esqueça de clicar no coração abaixo, é muito importante para gente!




335 visualizações2 comentários